Levantamento aponta que mais de 70 mil propriedades rurais possuem mulheres em postos de liderança

Um levantamento da Internacional Coffee Organization aponta que 30% das fazendas de café no mundo são geridas por mulheres. No Brasil, esse percentual é um pouco menor (13,2%), mas segue em ascensão com a presença feminina cada vez mais notável em cargos de liderança no campo.

Segundo pesquisa inédita da Embrapa Café, com base no último Censo Agropecuário, mais de 40 mil estabelecimentos rurais com produção de café são dirigidos por mulheres e outros 32,4 mil tem elas na codireção.

Na região da Alta Mogiana, embora não haja dados dessa participação, elas estão presente em todas as etapas, da produção à comercialização e unidas em prol do mercado de café e de uma maior inserção feminina.

A Associação Cerejas do Café – grupo composto por mulheres relacionadas a cadeia do setor com o objetivo de promoção, capacitação e empoderamento – reúne mais de 250 integrantes e neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, reconhece o avanço da presença da mulher na cafeicultura.

“É cada vez maior essa presença e nós trabalhamos no sentido de possibilitar o crescimento e desenvolvimento das mulheres, incentivando o empoderamento feminino, o empreendedorismo e fomentando uma rede de negócios dentro do setor cafeeiro”, explica Bruna Malta, produtora e uma das diretoras do Cereja do Café.

Quarta geração de uma família de produtores de café, Bruna inclusive fará parte da programação que discutirá a atuação das mulheres no campo durante o Workshop ‘Mulheres no Agro’, que acontecerá no dia 13 de março dentro da 4ª Alta Café.

A partir das 9 horas, serão realizados quatro painéis e mais uma oficina do Sebrae Delas com a participação de mais de 10 profissionais convidadas que falarão sobre protagonismo feminino, sucessão familiar e a mulher no universo de compra e venda de café e de máquinas agrícolas.

“Trabalhar no agro é apaixonante e cheios de desafios, principalmente para as mulheres, mas sempre soube que era capaz, mesmo sabendo da preferência das empresas por homens”, diz a classificadora de cafés Angélica Alves, que também atua na compra e degustação de cafés na Cocapil, cooperativa de pequenos e médios produtores de cafés em Ibiraci/MG. Angélica é uma das painelistas do evento, que tem previsão de encerramento às 17 horas.

A participação no Workshop ‘Mulheres no Agro’ é gratuita e voltada para as mulheres mediante inscrição antecipada (link no Instagram @altacafeoficial).

Texto: Casa da Comunicação Franca // Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *