“Espaço Café”: destaque da 4ª ALTA CAFÉ para o cafeicultor e para o consumidor final

Comercialização de marcas de cafés especiais, torrefação, workshop e cafeteria. Tudo para os amantes de um bom café no Espaço Café.

A principal novidade da ALTA CAFÉ em 2024 foi a organização do “Espaço Café”, uma proposta diferenciada de envolver, em um espaço próprio, as principais marcas de cafés especiais da Região da Alta Mogiana, baristas e outros profissionais do setor, o público consumidor e até mesmo o próprio cafeicultor da região.

O salão principal do Clube de Campo da Franca abrigou o Espaço Café. O local contou ainda com a presença da primeira e principal cafeteria de Franca: a Olinto Café.

O Espaço Café funcionou durante os três dias da 4ª ALTA CAFÉ e teve como objetivo dar oportunidade para que os amantes da bebida aprendessem ainda mais sobre esse universo. “O intuito deste espaço foi o de celebrar e dar a oportunidade para que os amantes da bebida conhecessem e aprendessem ainda mais sobre esse universo. Buscando reunir, neste espaço: expositores de cafés especiais da região comercializando suas marcas, uma cafeteria de qualidade, torrefação, workshops, entre outras atrações… Sem falar no delicioso cheirinho de café que exalou no ar!”, explicou Luciana Nunes, diretora de marketing da 4ª ALTA CAFÉ.

“Eu considero que a Comissão Organizadora foi extremamente feliz em organizar o Espaço Café neste ano. A ideia inicial foi minha e da Luciana Nunes (diretora de marketing da feira – IDEIA FIXA). Mas o mérito maior deve ser dos empresários Júlio Ferreira e Guilherme Dias (DOCA COMPLEXO CAFEEIRO) e do Rogério Sagiorato (CARMOMAQ), que apoiaram a nossa iniciativa e contribuíram com ideias e sugestões para organizarmos as rodadas de cupping com amostras de cafés de cafeicultores da nossa região, do workshop ensinando boas práticas no preparo de cafés. Deixo aqui nosso muito obrigado!”, destacou Carlos Arantes, coordenador da 4ª ALTA CAFÉ.

Destaque, também, para o Sindicato Rural de Franca, através do Sistema FAESP/SENAR-SP, que abraçou a ideia. “Desde a criação da feira ALTA CAFÉ, a nossa proposta é organizar uma feira em que seja mostrado e destacado – sempre em parceria com as entidades representativas da cafeicultura regional – todas as ações de todos os setores da cadeia produtiva do café”, ressaltou José Henrique Mendonça, presidente da feira e presidente do Sindicato Rural de Franca.

Engº Agrº Carlos Arantes (coordenador da 4ª ALTA CAFÉ); Adriana Dias (diretora da Revista Attalea Agronegócios), Luciana Nunes (diretora de marketing da 4ª ALTA CAFÉ) e José Henrique Mendonça (presidente do Sindicato Rural de Franca e presidente da ALTA CAFÉ).

CLASSIFICAÇÃO E RODADAS DE CUPPING

Com o apoio da DOCA COMPLEXO CAFEEIRO e da CARMOMAQ, o Espaço Café contou com um momento em que privilegiou cafeicultores e o consumidor final da região.

“Com o apoio do Sindicato Rural de Franca e do Sistema FAESP/SENAR-SP, organizamos uma proposta – com estrutura e profissionais altamente capacitados –, que pudesse beneficiar o cafeicultor da região. Ele pode levar uma amostra de café do seu café para fazer a análise e classificação sensorial, sem custos, para determinar a qualidade dos lotes produzidos. Sabemos que essa etapa é de extrema importância para definir a qualidade, ajudando assim na hora da comercialização. Conhecendo a qualidade, o cafeicultor determina para quem irá vender, buscando sempre o melhor preço para os cafés com maior qualidade”, explicou Carlos Arantes.

As amostras foram recebidas nos dias 12 e 13 de março no período da manhã. Já as rodadas de cupping (prova dos grãos) foram realizadas nos dias 13 e 14 de março, no período da tarde.

Com o apoio dos equipamentos da CARMOMAQ, todo o processo de preparo das amostras para o cupping foi feito às vistas de todo o público, tudo muito bem explicado. Por consequência, além das notas sensoriais de cada amostra recebida no Espaço Café, outro beneficiado foi o público consumidor.

Com o trabalho dos especialistas Julio Ferreira, Guilherme Dias e Carlos Henrique, os consumidores puderam avaliar, in loco, como é feita o preparo das amostras, como é feita uma análise sensorial, inclusive participando do processo. “O profissional classificador e degustador faz toda a classificação visual e física da amostra. Na sequência, faz a análise da bebida. Esta é classificada como: bebida extremamente mole, bebida mole, bebida dura, bebida riada ou bebida rio”, explicou Júlio Ferreira.

Explicando:

  • Bebida estritamente mole é uma bebida de maior qualidade, limpa e com alta doçura.
  • Bebida mole é também limpa e doce, mas com menos potência que a extremamente mole.
  • Bebida dura é uma bebida com um pouco de adstringência e aspereza e sem defeitos.
  • Bebida riada e rio são bebidas defeituosas, provenientes de pós-colheita mal conduzidas ou clima.

Carlos Henrique, classificador e degustador, além de Campeão Brasileiro de Cup Taster, prepara as amostras para o cupping.

Antônia Abalsamo, diretora da Sathya Máquinaria, participa do cupping.

Publico participa da análise sensorial das amostras de cafés dos produtores da região.

Publico participa da análise sensorial das amostras de cafés dos produtores da região.

Publico participa da análise sensorial das amostras de cafés dos produtores da região.

José Tadeu, diretor da OLINTO CAFÉ, participa da análise sensorial das amostras de cafés dos produtores da região.

Izildomar Cintra (CAI CAFÉ ESPECIAL) e Michelle Moscardini (CAFÉ FAZENDA LIMOEIRO) participa da análise sensorial das amostras de cafés dos produtores da região.

WORKSHOP CAFÉS ESPECIAIS

Outra atividade desenvolvida no Espaço Café foi o Workshop “Métodos Populares de Preparo de Café em Casa“. Júlio Ferreira e Guilherme Dias (DOCA COMPLEXO CAFEEIRO) foram os responsáveis por apresentar ao público presente as boas práticas do dia a dia e algumas variáveis para melhorar as receitas no preparo de cafés, através dos métodos mais populares como: Prensa Francesa, Mellita e Cafeteira Moka Italiana.

Guilherme Dias (microfone) e Julio Ferreira (preparo), especialistas da DOCA COMPLEXO CAFEEIRO, no Workshop “Métodos Populares de Preparo de Café em Casa”.

MARCAS DE CAFÉS ESPECIAIS

Os visitantes puderam conferir, de perto, a qualidade dos melhores cafés especiais da Região da Alta Mogiana. Destaque para as marcas: Gustavo Leonel Cafés Especiais, Café Dona Onça e CAI Café Especial e também de algumas marcas participantes do Núcleo de Cafés Especiais da ACIF, como o Café Aleluia e Café Fazenda Limoeiro e ZAZ Coffee & Beer.

Gustavo Leonel Cafés Especiais

Gustavo Leonel Cafés Especiais

Gustavo Leonel Cafés Especiais

Café Dona Onça

CAI Café Especial

CAI Café Especial

Café Aleluia

Doca Cafés Especiais

Doca Cafés Especiais

Café Fazenda Limoeiro

ZAZ Coffee & Beer

Fonte: Carlos Arantes Corrêa (Revista Attalea Agronegócios)
Créditos Fotos: Marcos Limonti